Whatsapp Nutrigenômica: como a alimentação influencia o DNA? | Dra. Joise Wottrich
Compartilhe:

Nutrigenômica: como a alimentação influencia o DNA?

Nas últimas décadas, com o maior entendimento da genética humana, surgiu uma nova ciência que busca investigar o papel da alimentação no DNA, ou seja, na expressão gênica: a nutrigenômica. A nutrigenômica é a ciência que estuda o papel dos nutrientes e compostos bioativos de diferentes alimentos na expressão dos nossos genes, e como eles regulam o nosso organismo. Essa é uma área interdisciplinar da nutrição e da genética, que estuda a interação entre a dieta e os genes, e como essa interação pode afetar a saúde, influenciando o risco de doenças crônicas (como câncer, doenças cardiovasculares e diabetes).

 A nutrigenômica também busca desenvolver dietas personalizadas baseadas nas características genéticas individuais de cada pessoa, para melhorar a saúde e prevenir ou tratar doenças. Mas afinal… Qual a influência dos nutrientes na expressão dos genes? A dieta e a disponibilidade de nutrientes podem influenciar a expressão de genes de diversas maneiras. Alguns nutrientes podem afetar a atividade de fatores de transcrição de determinados genes, a partir de uma atuação direta. As vitaminas A e D, por exemplo, se enquadram neste grupo.

A carência de nutrientes também pode ter um impacto na expressão gênica. A falta de vitaminas e minerais específicos pode afetar a atividade de enzimas e proteínas envolvidas na regulação da transcrição, levando a alterações na expressão de determinados genes. Por outro lado, certos nutrientes podem atuar de forma indireta como moléculas sinalizadoras, ativando ou inibindo vias de sinalização celular que afetam a expressão gênica. O açúcar e os ácidos graxos, por exemplo, podem ativar vias de sinalização intracelulares que regulam a expressão de genes envolvidos na resposta ao estresse celular e na homeostase do metabolismo. Outros nutrientes que atuam de forma indireta incluem: o resveratrol (vinho tinto), as catequinas (chá verde) e a genisteína (soja).

Em resumo, a dieta e a disponibilidade de nutrientes podem ser fatores importantes na regulação da expressão gênica e desempenhar um papel fundamental na manutenção da saúde celular e do organismo como um todo. É por isso que a nutrigenômica vem sendo estudada cada vez mais. A nutrigenômica vem ganhando cada vez mais destaque entre profissionais que atuam em consultório, já que possibilita com o objetivo de permitir uma prescrição de dieta personalizada, baseada nas características genéticas individuais para melhorar a saúde. Seja de forma direta ou indireta, os nutrientes da alimentação podem afetar a expressão dos nossos genes — e isso reflete no aparecimento de doenças.

POR: Dra. Joise Wottrich


CONTEÚDOS RELACIONADOS:

Estratégias nutricionais contribuem para reduzir sintomas da menopausa

Estratégias nutricionais contribuem para reduzir sintomas da menopausa

Uma dieta saudável pode ajudar a reduzir a gravidade dos sintomas da menopausa, bem como auxiliar a proteger o organismo contra problemas de saúde que podem acontecer nesta fase. Eu te explico como isso é possível.

Veja mais
Você sabe quais são os efeitos do amor em sua pele?

Você sabe quais são os efeitos do amor em sua pele?

Não é de hoje que ouvimos: "O amor faz bem para a pele".  Nesse post, vamos desvendar o porquê desse efeito!

Veja mais
Menopausa: vamos conversar sobre as mudanças na pele?

Menopausa: vamos conversar sobre as mudanças na pele?

A menopausa causa uma queda hormonal em nosso organismo, que afeta a pele. As rugas e linhas de expressão também aparecem, juntamente com a perda da elasticidade e firmeza. Porém, isso não deve ser motivo de preocupação. Eu te ajudo a entender mais sobre o assunto.

Veja mais
Developed by Agência Jung